quarta-feira, 3 de maio de 2017

Conselhos Raianos discutem problema das acessibilidades

Decorreram no sábado os primeiros Conselhos Raianos promovidos pela associação RIONOR. Em discussão estiveram questões relacionadas com as acessibilidades e transportes, contando com a intervenção de diversos especialistas que marcaram presença no espaço da Domus Municipalis, na Cidadela.
Francisco Alves, presidente da RIONOR, associação que tem no seu ADN a defesa dos territórios raianos, explica a pertinência da 1.ª edição destes Conselhos. “O objectivo fundamental é envolver os cidadãos na resolução dos grandes problemas que existem elegendo este ano o problema da acessibilidade, este ano as ligações entre os territórios raianos e entre Bragança e o resto de Portugal e a ligação ao outro lado da fronteira, porque é fundamental haver capacidade de mobilidade e hoje temos que encarar as coisas na perspectiva transfronteiriça que nos vai dar centralidade”, elucidou. 
Para o responsável máximo da RIONOR a ligação ao resto do país e ao lado de lá da fronteira é fundamental para a defesa da coesão territorial e do desenvolvimento económico de toda a região raiana.
José Mário Leite foi um dos oradores no primeiro painel da tarde e propôs-se responder à questão: «Carro ou avião, comboio, por que não?».
Para o Director do Instituto Gulbenkian de Ciência e presidente da Assembleia Municipal de Torre de Moncorvo o comboio é a locomotiva do desenvolvimento económico e deve ser tido em conta no escoamento do produto das minas de ferro que deverão entrar em funcionamento até ao final do ano.
O próximo capítulo destes Conselhos Raianos irá desenrolar-se do lado de lá da fronteira, em Puebla de Sanábria, a 17 de Junho. 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: