sábado, 26 de março de 2016

Um mês a comemorar o Teatro em Vila Real e Bragança

O Festival de Teatro Vinte e Sete proporciona 21 espetáculos de variados géneros e numa maratona que se vai prolongar por um mês nos palcos das cidades de Vila Real e Bragança, anunciou hoje a organização.
O Vinte e Sete arranca hoje e prolonga-se até 22 de abril, numa organização conjunta entre os teatros municipais de Vila Real e Bragança.

Durante este período, serão apresentados 21 espetáculos de variados géneros e para vários públicos e escalões etários.

Poderão ser vistas peças de teatro clássico ou contemporâneo, do novo circo à poesia, da palavra dita ou representada à poesia cantada, do drama ao humor, da ironia subtil à comédia solta, com espetáculos intimistas e outros mais extrovertidos.

A organização disse que se trata de "uma mostra de teatro de qualidade em português" e de "um festival que não deixa ninguém de fora".

O arranque do festival leva ao palco do Teatro Municipal de Vila Real o espetáculo ‘Portugal dos Poetas’ de Natália Luísa e na terça-feira há cinema com ‘Até ao canto do galo’, uma produção da companhia de teatro Peripécia.

Para o Dia Mundial do Teatro, que se assinalada a 27 de março, domingo e dia de Páscoa, não estão agendados espetáculos.

Alexandra Lencastre e Diogo Infante vão apresentar ‘Plaza suite’, uma comédia de Neil Simon, dirigida por Adriano Luz, que marca o reencontro em palco dos dois atores.

A companhia Teatro de Ferro vai apresentar ‘Uma aventura no espaço’, as Visões Úteis ‘Trans/Missão’, a Cirocolando ‘Brisa e tufão’, o grupo Teatro do Frio traz a Trás-os-Montes ‘Sal’ e Ana Deus e Nicolas Tricot apresentam ‘Bruta’.

O programa inclui ainda workshops de construção de marionetas e sessões de contos tradicionais portugueses.

O bilhete único para o festival custa 35 euros.

António Pereira
in:diariodetrasosmontes.com

Sem comentários: