quarta-feira, 31 de agosto de 2016

É rejeitada a pretensão dos moradores de Outeiro que pretendiam fosse elevada à categoria de vila a sua povoação e cercada (de muralhas)

«Joham Aires vassalo d’El Rey corregedor por ele e veedor das sas justicas Aaquem dos montes. A todalas justiças da dita comarca que esta carta virdes faço saber que os moradores d’Outeyro de Miranda me mostrarom dhuas cartas de nosso senhor El Rey scritas em papel e seelladas do seu seello redondo nas quaees era conteudo que os ditos moradores pediam ao dito senhor Rey que mandasse cercar e fazer vila cercada no dito logo d’Outeyropor que deziam que era seu serviço e prol da dita comarca e por esto lhe pedyam por merce que lhes mandasse quitar o forro que lhy avyam a dar os moradores ao dito senhor; sobre a qual razom mandou a mym o dito senhor as ditas cartas que visse se era seu serviço e a se fazer cerca em no dito logo e se visse que era seu serviço que mandasse aos ditos moradores que a fezessem elhy desse termho agressado das vilas e comarca d’aredor e lhes quitasse do foro que lhy (...) hum ano tinham a dar como visse (...) perante my os ditos moradores me pedirom (...) como em ellas era conteudo; e eu veendo as ditas cartas e o que me (...) sobre ditos era pedido por que athe que se a cerca fezesse no dito logo que seria por (?) dos concelhos da vila de Bragança e de Miranda mandey aos ditos moradores que citassem os ditos concelhos que por seus procuradores parecessem perante my para mostrar se avyam algumas razões a embargar a se non fazer a dita cerca em no dito logo d’Outeiro e a lhy non darem termho das aldeas que aas ditas bilas pertencem; e ao dia que lhes foy assynado a que parecessem perante mym parecerom Domingo Fagundes procurador dos ditos moradores d’Outeiro da huma parte e Joham Macia procurador do dito concelho de Miranda e Vaasco Pirez procurador do concelho de Bragança da outra; e eu fiz perguntar aos procuradores dos ditos concelhos se avyam alguas razões e enbargar aquello que pellos ditos moradores d’Outeyro erra pedido e nas ditas cartas erra conteudo e os ditos procuradores dos ditos concelhos disserom que as ditas forom ganhadas calada a verdade e como non devya; e que porem vierom com suas razooens a enbargar a se non fazer a dita cerca nem lhy dar o dito termho em perjuizo dos ditos concelhos cuja erra a dita comarca d’Outeyro; e logo o procurador dos ditos moradores disse que el non queria hordenhar outro feito nem processo com os procuradores dos ditos concelhos mais que eu visse as ditas cartas e o que me El Rey sobre ello mandava fazer e as comprisse como em ellas era conteudo; e eu veendo o que assy era dito por cada huma das partes e em como o sobre dito procurador dos ditos moradores non queria hir pelo dito feito adiante e vista outrossy huma carta do dito senhor Rey que a mym sobre ello veo depois que me as ditas cartas forom mostradas na qual erra conteudo que eu non mandasse fazer a dita cerca en no dito logo nem lhes desse termho nem lhes quitasse do foro pois entendya que non era seu serviço; e porem eu visto o dito feito e consirando o serviço d’El Rey porem em minha sentença julguey que se non faça cerca en no dito (...) termho em prejuizo dos ditos concelhos de Bragança e de Miranda (...) da qual sentença o procurador dos moradores non apellou nem agravou; e os procuradores dos ditos concelhos me pediram que lhy mandasse dar senhas cartas testemunhaveis por guarda do sobre dito seeladas do seello d’El Rey que perante my anda e eu lhas mandey dar; esta he a do.

Memórias Arqueológicas-Históricas do Distrito de Bragança

Sem comentários: