sexta-feira, 7 de agosto de 2015

CIM TTM garante 58 milhões de verbas comunitárias

CIM Terras de Trás-os-Montes garantiu um pacote de 58 milhões de euros de fundos comunitários para os próximos 4 anos, até 2020, verbas maioritariamente canalizadas pelo Plano Operacional Regional Norte 2020.
Os pactos de coesão territorial foram assinados por cinco das Comunidades Intermunicipais do Norte e a CCDRN, e vão permitir às comunidades intermunicipais gerir as verbas destinadas a investimentos em infraestruturas educativas, criação de emprego, sustentabilidade energética e inclusão social. 
Apesar de afirmar que este é um valor que vai permitir bastante investimento na região, Américo Pereira, Presidente da CIM esperava ter conseguido uma verba maior. “Isto é um mal menor, os montantes que o pacto envolve foi a negociação possível, fizemos tudo o que estava ao nosso alcance”, refere, destacando que assinatura do documento foi feito mediante “a condição da verba crescer entre 4 a 5 %, numa futura renegociação, que se espera vir a acontecer no próximo ano”. 
O representante dos nove municípios da CIM refere que educação e criação de emprego são duas das áreas prioritárias para aplicar o valor conseguido, a par da formação, eficiência energética ou inclusão social. A maior fatia será destinada à melhoria das infraestruturas escolares. 
A CIM Terras de Trás-os-Montes conta com cerca de 13 milhões de euros para requalificar as escolas consideradas prioritárias, ou seja, nos concelhos de Mirandela, Vinhais, Vila Flor, Miranda do Douro, Macedo de Cavaleiros e Alfândega da Fé. Já a CIM do Douro, onde estão representados os municípios de Torre de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta e Carrazeda de Ansiães foi, de entre as cinco que assinaram o pacto em Guimarães, aquela que assegurou a verba mais alta: trata-se de 67 milhões de euros disponíveis para aplicação em educação e formação, criação e emprego, eficiência energética ou inclusão social. 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: