quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Tutela diz que não há perda com fecho de convalescença em Macedo de Cavaleiros

A Unidade Local de Saúde do Nordeste (ULSNE) informou hoje que o encerramento da Unidade de Convalescença de Macedo de Cavaleiros não implicará a perda de cuidados prestados à população do distrito de Bragança.

O esclarecimento divulgado através do Gabinete de Comunicação e Imagem surge depois da contestação dos últimos dias ao fecho da única unidade do género que serve os distritos de Bragança e Vila Real e que deixará de funcionar a 31 de dezembro. 

No referido esclarecimento, a ULSNE indica que "não irá verificar-se, na prática, e objetivamente, a retirada ou diminuição dos cuidados de convalescença prestados pela ULS Nordeste à população". 

De acordo com a tutela, estes cuidados prestados até agora pela unidade a doentes que tinham alta hospitalar, mas ainda necessitavam de acompanhamento, "continuarão a ser prestados, a partir de janeiro de 2015, quer através de apoio hospitalar/internamento, quer do apoio de proximidade, no domicílio, pelos cuidados de saúde primários, nomeadamente através da ECCI -- Equipa de Cuidados Continuados Integrados". 

Para tal, a ULSNE dispõe de 10 destas equipas multidisciplinares, que garante estarem "preparadas e disponíveis para acompanhar os utentes que necessitem dos referidos cuidados, no conforto do lar e junto dos seus familiares". 

"O que irá verificar-se é a prestação de cuidados integrados, através da articulação entre o internamento hospitalar e os cuidados de saúde primários, em conformidade com a missão de uma Unidade Local de Saúde, como a do Nordeste", realça. 

A desativação da Unidade de Convalescença vai permitir, segundo ainda a responsável, "um reforço significativo da prestação de cuidados paliativos". 

Nesta unidade já funcionavam oito camas e, a partir de janeiro, serão quase o dobro destinadas a este fim, de apoio a doentes em fase terminal. 

No esclarecimento é ainda vincado que esta alteração se insere no alargamento da rede de cuidados paliativos, "de acordo com as necessidades da população, a qual se carateriza por um elevado grau de envelhecimento e alguma dependência". 

A ULSNE garante ainda "a salvaguarda de todos os postos de trabalho afetos à atual Unidade de Convalescença, já que estes colaboradores irão continuar a desempenhar funções assistenciais na prestação de cuidados paliativos". 

A Unidade de Convalescença foi criada em 2009, no hospital de Macedo de Cavaleiros, com um investimento de dois milhões de euros para 18 camas afetas a doentes a necessitarem de cuidados até 30 dias e oito camas destinadas à Unidade de Cuidados Paliativos, sem custos para os utentes. 

O serviço está integrado na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) e o seu encerramento foi denunciado, na sexta-feira, pelo Partido Socialista que teme "faça parte de uma estratégia que leve ao encerramento do hospital de Macedo de Cavaleiros". 

A medida mereceu também a contestação da Comissão de Saúde da Assembleia Municipal de Macedo de Cavaleiros que a classifica de "incompreensível, desajustada da realidade" e "um retrocesso grave face às necessidades de cuidados de saúde da população transmontana e às metas fixadas pela Unidade de Missão para os Cuidados Continuados Integrados".

HFI // MSP
Lusa/fim

Sem comentários: